"Percorri toda essa trajetória e até agora não cheguei a lugar algum.
Sim, acredite, eu mudei muito. Descobri dentro de mim mesma, uma pessoa muito paciente, muito esperançosa muito corajosa, muito guerreira. Mas chega um ponto que as forças acabam, o corpo pede descanso e a mente já não funciona.
Meu coração já não aguenta mais bater, as lágrimas já não chegam aos meus olhos, e minhas pernas não sustentam mais o meu corpo. Isso tudo porque aquela mensagem de "eu te amo" não chegou aos meus ouvidos, esse tempo todo. "
Anne Martins

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A incerteza do AMANHÃ.

Pode ser que você um dia esteja aqui
Já não sei se você já esteve
Mas sei que agora você não está,
Aonde, com quem, porquê, eu sei, todos sabem
Melhor negar, fingir, mascarar
Sobrepor a realidade, inventar
Aparentar felicidade, magoar
Sorrir para fotos, andar de mãos dadas
Usar alianças, sempre ligadas
Pode ser que um dia você esteja aqui
Mas "um dia" pode ser muito tarde para nós dois
Eu queria você aqui comigo, hoje
Você não está, estará amanhã
Está marcado, ao meio dia, no mesmo lugar
Hoje não pôde, reunião escolar
Vai acreditar, vai aparentar, vai mascarar...
Não há do que falar, é amor.
Amar o quê? À quem? A...manhã.
O amanhã é incerto para quem vive de aparências
O amor, amanhã, será amargo para nós
E que seja decretado o nosso fim
Pois amor, Amor, sempre há de ser doce
E se não for doce, não é amor, apenas...







Dor.

2 comentários:

bruna disse...

Estou boqueaberta com o seu talento enrustido !

Gostei muito Nanne !!

Clepsidra disse...

Continue escrevendo, pois é bom ler o que vc escreve.
Além do mais, a literatura, às vezes, é a única salvação possível.
Parabéns!
Super beijo